|HOME | ABOUT | MARIA | ANTÓNIO | PORTFOLIO | FEATURED ON | FAQ | FEED | PINTEREST | FACEBOOK | LINKS | TRANSLATE | EMAIL|
Mostrar mensagens com a etiqueta António Rodrigues. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta António Rodrigues. Mostrar todas as mensagens

22.9.13

* por aqui *

atelier atelier atelier atelier


Ainda ando por aqui e com a vida prestes a mudar, pois o sonho comanda a vida!

28.4.13

* minho *

panque | barcelos panque | barcelos panque | barcelos panque | barcelos
panque | barcelos
panque | barcelos panque | barcelos



O Dia da Liberdade no meio do verde e da água em Panque,  Barcelos.



   

1.4.13

* água *

pateira de óis da ribeira | cheias.março.2013 pateira de óis da ribeira | cheias.março.2013 pateira de óis da ribeira | cheias.março.2013 pateira de óis da ribeira | cheias.março.2013

As cheias na Pateira

Quase tão bonitas como este filme.

17.2.13

* inverno *

winter winter winter winter

Da janela da cozinha, vejo os gatos que me procuram e insistem em fazer deste pequeno parapeito, a sua casa. Pequenos e grandes nascidos aqui, no meio do campo, de uma gata vadia, que pariu várias gerações, e por sua vez passou o testemunho para as suas crias fêmeas. Amontoados na janela vêm sempre, reclamar o seu quinhão de ração, novos e velhos unidos pelo sangue sem o saberem. E instalam-se neste parapeito que também é o seu pequeno mundo. Uns partem e deixo de saber deles, outros mais resilentes e dóceis exigem a sua parte diária de carinho e comida. 

Também o meu pequeno mundo quando me sento naquela cadeira, é esta tela feita de janela, pintada de pêlo, bigodes, pegadas e miados, que me distrai das agruras do dia-a-dia e me faz ver para além dos gatos e desta janela. Quem sabe se aqueles pequenos seres quando me olham directamente nos olhos, espiando todos os meus gestos, também conseguem ler o que me vai na alma, tornando-a transparente e sem segredos. 

Quem sabe.

26.11.12

* vintage *

Revista Modes et Travaux | Tricots ⎨1984 ⎬ Revista Modes et Travaux | Tricots ⎨1984 ⎬ Revista Modes et Travaux | Tricots ⎨1984 ⎬ revista Anna | Burda ⎨1982 ⎬ revista Anna | Burda ⎨1982 ⎬ revista Anna | Burda ⎨1982 ⎬ Revista Modes et Travaux | Tricots ⎨1984 ⎬ revista Anna | Burda ⎨1982 ⎬ revista Anna | Burda ⎨1982 ⎬ revista Anna | Burda ⎨1982 ⎬

Tricotar nos anos oitenta era sinónimo de cor e peças muito elaboradas.

Estas publicações antigas são da Anna | Burda de {1982} e  Revista Modes et Travaux | Tricots de {1984} e são ainda um deleite para quem gosta de tricot!

11.10.12

* contextile 2012 *

Contextile 2012 | GuimarãesContextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães Contextile 2012 | Guimarães



"A CONTEXTILE 2012 é uma bienal de arte têxtil contemporânea. É caracterizada por uma exposição internacional, resultado de um concurso competitivo, a que se juntam eventos paralelos como exposições satélite, residências artísticas, performance, conferência e intervenções de arte publica. O objectivo é criar diálogos entre os artistas, as obras de arte e acidade, promovendo o desencolvimento da arte têxtil local, nacional e internacional."



Localizada em vários espaços da cidade de Guimarães, a Bienal de Arte Têxtil Contemporânea, a Contextile está integrada no evento Guimarães Capital da Cultura e pode ser visitada até ao dia 14 de Outubro.

Sábado passado agendámos finalmente a visita e rumámos a terras Vimaranenses.

A mostra que reúne um número considerável de obras está patente na Casa da Memória, tendo estas sempre como fio condutor do discurso artístico, o elemento têxtil. Estão expostas peças únicas provenientes de vários países,  representativas das várias abordagens estéticas relacionadas com o universo têxtil. Entre elas, chamou-me particularmente a atenção uma leitura de cariz arrojado, do Bordado de Guimarães,  feita pela artista Monika Järg numa parceria com as artesãs da região. De salientar que a arte têxtil continua a  escrever-se predominantemente no feminino.

No Paço dos Duques encontra-se o projecto Kaunas Biennial que expõe um conjunto de obras onde se alia a alta tecnologia ( tear computadorizado ) a uma temática histórica, tendo como produto final reproduções de grande dimensão de obras clássicas em suporte têxtil. O local da exposição possui uma envolvência muito especial, com a luz a marcar presença de uma forma subtil, criando um efeito dramático na leitura que se faz do trabalho exposto, com o contraste luz/sombra.

No Arquivo Municipal Alfredo Pimenta logo à entrada estão presentes algumas obras de um nome de referência na Arte Têxtil Portuguesa Contemporânea, Gisela Santi.

Apesar de termos visitado a Plataforma das Artes, espaço inaugurado recentemente e que funciona como pólo dinamizador na divulgação de eventos artísticos e culturais, não fizémos o registo fotográfico. Deixo aqui o link para um post muito bem documentado feito pela Ana.

A cidade estava especialmente bonita apesar do dia  nublado e oferecia várias propostas a nível do comércio local, restauração e eventos públicos, com uma afluência de turistas e nacionais bastante grande nas ruas. A repetir daqui a três anos.

1.10.12

* liberdade *

collage.jpg-9 DSC_0040DSC_0245 collage- 11 Sem título

Na minha mesa de cabeceira repousa a biografia de João Aguardela, escrita pelo jornalista Ricardo Alexandre, seu amigo de longa data.O início do livro transportou-me imediatamente para o final da década de 80 e início da de 90 na cidade do  Porto, anos férteis em bandas alternativas, rádios piratas, espaços nocturnos, como o Aniki Bóbó, o Meia Cave, o Bacalhau, o Labirinto, o Indústria, o Swing, o Griffon's, o Batô, o Pinguim, etc, etc, onde toda a cena da música underground e fora do mainstream se passava. Foram anos de uma actividade cultural intensa no meio da névoa feita do fumo de muitos cigarros - hoje tão politicamente incorrecto!, de uma anarquia de ideias e formas de estar, de conversas intermináveis de café pela noite dentro  e  sobretudo da liberdade de escolha, porque havia alternativas e vários caminhos possíveis para seguir.

E Aguardela escolheu o seu sem nunca perder a sua identidade.

O seu último projecto, Megafone é surpreendente, confesso que não o conhecia, está disponível aqui, sendo o download  dos  quatro cds legal e gratuito.

Um bem haja a um dos compositores mais criativos e singulares da música portuguesa pelo seu legado de amor à música de raiz portuguesa e à liberdade.

Porque hoje é o Dia Mundial da Música.

{ As fotografias reproduzidas em cima são das nossas pequenas férias deste Verão e simbolizam a liberdade. }

Liberdade onde vais? Liberdade onde cais? 
Esta luta é por te amar

in SOLDADO, SITIADOS, 1992